Especialidades

Psicoterapia e Aconselhamento Psicológico

Psicoterapia e Aconselhamento Psicológico

Nas múltiplas relações que estabelecemos connosco e com os outros, vivenciamos frequentemente mal-estar e/ou sofrimento pessoal e relacional. A psicoterapia e o aconselhamento psicológico podem ser formas de ajuda muito relevantes para dar novos significados a estas vivências.

Promovendo sobretudo a mudança e o desenvolvimento pessoal, através da empatia, da escuta, e da procura conjunta de novos significados para si, o ELOS disponibiliza uma equipa de profissionais com sólida experiência no apoio psicológico a jovens e adultos.
O que orienta a nossa ação profissional é o encontro genuíno com quem sente a necessidade de um espaço próprio, de um lugar de reformulação positiva das problemáticas de vida e de uma relação de ajuda em que a pessoa é a principal agente da sua mudança. A patologia não é o alvo nem a ideia central da nossa intervenção. Interessa-nos ajudá-lo a encontrar-se, consigo e com o mundo, através de outros e de melhores olhares e sentidos para a vida.

Psicologia da Educação

A Psicologia da Educação é o estudo psicológico de todos os aspetos da realidade educativa, isto é, dos fatores que determinam as situações educacionais e das relações existentes nessas situações. Um dos conceitos centrais na Psicologia da Educação, é o das Dificuldades de Aprendizagem (DA), que são perturbações que provocam uma discrepância significativa entre aquilo que a criança realiza em termos académicos e aquilo que seria esperado em função da idade. Existem diversas formas de DA e as crianças não apresentam todas os mesmos problemas nos vários domínios da aprendizagem: leitura, escrita, cálculo, competências sociais, entre outros.

Como tal, a avaliação, o diagnóstico e a intervenção focalizam-se nas várias áreas do desenvolvimento e da vida da criança: história desenvolvimental da criança, consciência fonológica, conhecimento das letras e dos números, conhecimentos acerca da escrita, atenção, relação com os pares, motivação para a aprendizagem, entre outras. Só através de um pleno entendimento de todas as áreas da sua vida é que poderemos estipular objetivos coerentes para intervir nas DA.
Psicologia da Educação

Apoio Pedagógico

Apoio Pedagógico

O ELOS AP (Apoio Pedagógico) é orientado por profissionais especializados, utilizando técnicas adaptadas às características individuais de cada criança. Identificando e fazendo valor aos pontos fortes da criança, serão definidas metas ajustadas e mensuráveis para que esta e a família se apercebam dos seus progressos. Este projeto tem como população alvo crianças do 1º ou 2º ciclo do ensino básico com dificuldades de aprendizagem de leitura e escrita; dificuldades de cálculo e raciocínio matemático; perturbações do desenvolvimento; perturbação de hiperatividade e défice de atenção; e problemas emocionais e de comportamento. Os objetivos globais passam por promover o sucesso escolar e bem-estar da criança, nomeadamente em facilitar a aquisição de conteúdos académicos; orientar na realização de trabalhos escolares.

As sessões decorrem no final das atividades escolares, com o conteúdo de cada sessão previamente definido e devidamente explorado com a criança. São diárias, podendo os pais optar por um regime bissemanal ou tri-semanal, decorrendo em pequeno grupo, com possibilidade de apoio individual sempre que se considerar necessário.

Intervenção Precoce

A necessidade de Intervenção Precoce de carácter Sistemático e Intensivo consiste, provavelmente, no aspeto relativamente ao qual existe maior consenso entre os vários especialistas nas PEA. Os estudos de eficácia apontam a idade de início, a par com o carácter sistemático e intensivo da intervenção, como sendo as variáveis determinantes para o sucesso dos procedimentos de intervenção. A importância da intervenção precoce é igualmente confirmada pelas investigações no domínio das neuro-ciências, que confirmaram a existência de uma maior plasticidade cerebral nas fases mais precoces do desenvolvimento neurológico, a qual poderá permitir mais oportunidades para ultrapassar défices neuro-desenvolvimentais durante os primeiros anos de vida.

A intervenção precoce é igualmente fundamental para prevenir os efeitos que são causados pelos défices precoces e que interferem com o desenvolvimento mais tardio: estes efeitos secundários poderão resultar numa “cascata” de problemas, tanto a nível do desenvolvimento psicológico como a nível do desenvolvimento neurológico, acabando por agravar a condição.
Intervenção Precoce

Terapia da Fala

Terapia da Fala

O Terapeuta da Fala intervém em todas as faixas etárias, desde o recém-nascido ao idoso, ao nível da prevenção, avaliação e tratamento e estudo científico de diferentes áreas:
- Comunicação: Otimizar o desenvolvimento das competências comunicativas recorrendo, sempre que necessário, a formas de comunicação aumentativa e alternativa (gestos, símbolos/imagens);
- Linguagem: Intervir na componente compreensiva e expressiva nas suas áreas (semântica, morfologia, sintaxe, fonologia e pragmática);
- Motricidade Orofacial: Contribuir para a harmonia das funções do sistema estomatognático (sucção, mastigação, respiração, fonação e deglutição) e estruturas envolvidas nas mesmas (músculos da face e pescoço);
- Voz: Intervir nas alterações da qualidade vocal, desde a prevenção dos sintomas, a eliminação de maus usos e abusos vocais e na prática da saúde vocal;
- Leitura e Escrita: Estudar a relação entre o desenvolvimento da linguagem e da leitura e escrita e intervém nas áreas da literacia, nomeadamente em casos em que existem dificuldades de aprendizagem e perturbações específicas da leitura e escrita.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional tem como objetivo envolver a pessoa nas atividades da vida diária significativas para a mesma. O terapeuta ocupacional avalia e intervém em crianças, jovens e adultos estimulando as suas capacidades, de forma a potenciar o seu desempenho ocupacional.

No universo da criança é a brincar que se aprende. A terapia ocupacional utiliza o brincar para avaliar e desenvolver capacidades motoras sensório-percetivas sociais, cognitivas e atividades de vida diária. Através de atividades significativas estimulam-se competências como: gatinhar, saltar, correr, escrever, interagir com os outros, resolver problemas, vestir, despir, comer… visando a funcionalidade e autonomia no seu dia-a-dia.
Terapia Ocupacional

Expressão Corporal e Teatro

Expressão Corporal e Teatro

São múltiplas as vantagens do teatro no desenvolvimento das crianças, sendo que alguns dos principais benefícios conhecidos verificam-se ao nível da comunicação, memória e atenção, auto-conhecimento, expressão emocional, consciência corporal e coordenação motora. Em grupos de crianças com perturbações de desenvolvimento, nomeadamente o autismo, o teatro tem sido uma ferramenta cada vez mais usada devido aos benefícios empiricamente comprovados ao nível da cognição social (a forma como percecionamos o mundo à nossa volta, como percebemos o estado mental do outro), das competências sociais (a forma como interagimos com o outro), da coordenação motora e da expressão individual. Neste sentido, a participação numa atividade de teatro tráz mais-valias e progressos visíveis nas crianças com autismo.

A maior parte dos conteúdos a trabalhar, ao longo das aulas, incidem sobre os jogos de Expressão Dramática que fornecem um vasto reportório transversal aos aspetos a desenvolver: desinibição; expressão corporal; relação com o espaço e objeto, improvisações e dramatizações a partir de histórias ou situações; descobrir e explorar potencialidades da voz através do jogo. A experiência artística será vivenciada através da condução do simples jogo dramático e outros levando a um resultado estético.

Equitação Terapêutica

A Equitação Terapêutica é uma terapia complementar que recorre ao contacto com o cavalo e à equitação propriamente dita com um objetivo essencialmente terapêutico. Os movimentos tridimensionais do cavalo, o ritmo, o andamento e a velocidade são utilizados de forma intencional no sentido da promoção das diversas áreas do desenvolvimento, de acordo com os objetivos estabelecidos individualmente para cada cavaleiro. Trata-se de um elemento comum entre os dois intervenientes que está presente e atua no tempo de sessão, o que motiva, assim, a promoção do desenvolvimento com benefícios comprovados ao nível da autonomia, da auto-estima, das competências emocionais e sociais, das noções espaciais e temporais, do controlo postural e equilíbrio, do tónus muscular, dos movimentos estereotipados, entre outros.

Para que a equitação seja considerada terapêutica, a equipa ELOS conta com profissionais de saúde responsáveis pela avaliação física e psicológica do cavaleiro, pelo estabelecimento de objetivos individuais com base naquela avaliação, e, finalmente, pela intervenção.
Equitação Terapêutica
Musicoterapia

Musicoterapia

A Musicoterapia é uma área que intervém tanto a nível preventivo como terapêutico, e que permite abrir canais de comunicação entre o paciente e o terapeuta, criando um vínculo sonoro que tem como mediador o contexto não verbal.

A música e os componentes que lhe são associados (sons, silêncio, movimento e todos os aspetos que estão integrados no ISO – identidade sonora) são utilizados para beneficiar pacientes enquadrados em áreas tão distintas como as perturbações do desenvolvimento e do espetro do autismo, saúde mental, geriatria/demências, doenças crónicas e também na área pré-natal e do desenvolvimento pessoal, entre outras.